Compliance: como aplicar e proteger a reputação e as finanças da empresa

Hoje, mais do que cuidar dos interesses de sua empresa, o empresário que busca crescimento e respeito no mercado, também deve se preocupar com a prevenção ou minimização de riscos. Para isso, surgiu o compliance, um termo que significa “agir em sintonia com as regras”, ou seja, um conjunto de medidas que permitirá que a empresa esteja absolutamente em linha com normas impostas por órgãos de regulamentação.

O Brasil tem mostrado avanços quanto ao desejo de reduzir irregularidades e a Lei Anticorrupção (Lei 12.846/13) é um exemplo disto. Um dos objetivos de tal Lei é prever a responsabilização objetiva de empresas para que mantenham relações com órgãos públicos, prezando procedimentos internos que garantam a conduta regular e sem fraudes. Por isso, muitas empresas estão dando maior atenção não só aos riscos legais que estão frequentemente rodeadas, como ao que pode ser feito para melhorar a sua credibilidade e reputação no mercado.

Ante o exposto, alguns passos devem ser seguidos para concretizar a implementação do compliance dentro de uma empresa:

1.Contrate um especialista

Para a implantação e principalmente para a condução do compliance de forma adequada, é de extrema importância que um profissional com conhecimento em leis e normas regulatórias pertinentes à empresa seja acionado. O profissional poderá ser, por exemplo, um advogado ou uma empresa júnior, que fará o acompanhamento do programa na empresa.

2. Analise os riscos

È preciso entender e mapear as áreas da empresa que estão mais vulneráveis a riscos e ficar atento aos negócios que devem ser tratados com grande cautela, como a interação com agentes públicos. Assim, deve-se observar como a empresa adquire riscos nas suas áreas de atuação e como isso pode ser evitado.

3. Faça um código de conduta

Caso ainda não tenha sido criado, é importantíssimo que seja feito um código de ética e conduta da empresa, detalhando os valores, recomendações de comportamento de funcionários, penalidades em caso de descumprimento e etc. O código deve ser acessível a todos e de claro entendimento, para evitar incongruências.

4. Organize uma estrutura

O ideal é preparar a empresa para a chegada do programa compliance, para que todos os funcionários se sintam seguros a comunicar irregularidades, por exemplo. Além disso, é de suma importância oferecer treinamentos aos funcionários para implementar de forma eficaz uma cultura consistente de banir irregularidades e ilicitudes.

Como visto, é essencial que um profissional acompanhe a implementação do compliance em sua empresa e a Ex Lege Júnior está aqui para te ajudar a evitar riscos e desgastes financeiros.

 

Gleyciene Oliveira 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *